Acre prorroga situação de emergência por causa de haitianos

A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos relatou ao governador “situação de alerta máximo” na tríplice fronteiras em razão do “grande influxo” de estrangeiros na região. O alojamento dos imigrantes, em Brasiléia, cuja capacidade é para abrigar 300 pessoas, está ocupado atualmente por 1,2 mil haitianos.

Ao prorrogar a situação de emergência social o governo também considera os sérios riscos à saúde, dos imigrantes e dos nacionais, a exemplo de doenças como dengue, malária, dentre outras.

A decisão também leva em conta a obrigação do Poder Público de assegurar, aos nacionais e aos estrangeiros, o respeito de sua dignidade como pessoa humana, nos termos da Constituição Federal.

O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão, disse que a decretação de situação de emergência social permite ao governo atuar com mais coesão no atendimento aos imigrantes, além de ações âmbito financeiro, como a realização de compras sem licitação.

– A partir desta sexta, para evitar a propagação de qualquer possível doença contagiosa, já pedi à Secretaria de Saúde que passe a monitorar o alojamento. Além disso, vou requerer ao comando a Polícia Militar a presença permanenteno alojamento, de quatro homens desarmados para garantir a segurança e impedir qualquer tido de violência – disse Mourão

Por: Altino Machado
Fonte: Terra Magazine/ Blog da Amazônia 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *