Apesar de suspenso, operação realiza despejo de 380 famílias em Rondônia

Em 25 de janeiro o MPF já havia alertado da possibilidade de ocorrer irregularmente a reintegração de posse

Após informação de que o despejo de 380 famílias do Projeto de Assentamento (PA) Alta Floresta, nos municípios de Governador Teixeira e Campo Novo, em Rondônia, as comunidades informaram que movimentações da Polícia Militar indicavam que a operação de despejo seria mantida. Os relatos locais citam a presença de um helicóptero da polícia, que já sobrevoava a área na manhã desta quinta-feira (4).

O despejo das famílias de pequenos agricultores havia sido adiada por trinta dias, segundo confirmou reunião virtual da Câmara Nacional de Conciliação Agrária do INCRA, realizada no dia 02 de fevereiro. O pedido de adiamento foi feito pelo Conselho Estadual de Direitos Humanos de Rondônia, em 20 de janeiro, devido à pandemia de Covid-19.

Em agravo de instrumento do dia 25 de janeiro, o Ministério Público Federal já alertava para a possibilidade de ocorrer reintegração de posse irregular na área, conferme cita o documento “Assim, atualmente há iminência de reintegração de posse IRREGULAR em área de interesse da União, uma vez que área destinada à reforma agrária, conforme informações do INCRA (doc. 1, anexos). A respeito da iminência de reintegração de posse, anexamos como comprovante o Ofício 4333/2021/PM-8BPMP3 (doc. 3, anexo)”.

Fonte: CPT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *