Após quase um ano, criança pulverizada por agrotóxico no MA segue sentindo sintomas

Em abril de 2021, um avião agrícola passou em cima da comunidade de Araçá, no município de Buriti, no Maranhão, e acabou jogando a substância sobre uma criança de oito anos. André Lucas, filho da roceira Antônia Peres, ficou com ferimentos na pele – e após quase um ano do ocorrido, o menino ainda sente sintomas de fraqueza.

A informação foi revelada pela mãe à TV Guará. “Depois daquela chuva de veneno que ele pegou, aqui e acolá ele tem umas crises de fraqueza”, afirmou. Na época, ela conta que várias outras pessoas foram atingidas, mas o mais grave foi sofrido por seu filho.

“O André Lucas ficou com ferimentos na pele, não dormia, sofreu muito. Fora os remédios que a gente tinha que comprar. (…) E aí começou a ter um mau cheiro muito forte no corpo. As outras pessoas não suportavam”, lembrou a mãe, comovida.

“Hoje, ele tá melhor, mas de lá pra cá, nunca teve saúde. Com a fraqueza, a gente tem que ir na cidade para ele tomar soro”, prossegue. Antônia revela que a criança chegou a fazer o exame no Instituto Médico Legal (IML) de Timon, mas nunca recebeu os resultados.

A comunidade fica próxima a uma plantação de soja, que recebe a pulverização. “Sempre a gente sente o cheiro do agrotóxico, sempre. Não param de jogar perto da nossa comunidade. A gente já fez várias denúncias e nunca fomos atendidos”, pontuou. “Até fome a gente passou nesse período. Minha filha me pedia comida, café, e a gente não tinha dinheiro porque tinha usado pra comprar o remédio do André Lucas”.

PL do Veneno

Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou o PL 6922/2002 – apelidado de ‘PL do Veneno’ por flexibilizar o uso de agrotóxicos no país. O projeto foi aprovado por 301 votos e 150 foram contrários. De 18 deputados da bancada maranhense, apenas 3 votaram contra.

Por: Giovana Kury/Portal Guará 
Fonte: CPT