98% dos alertas de desmatamento desde 2019 não foram autorizados nem fiscalizados

Com apenas 11 dias do mês de novembro, Rondônia e Acre batem recordes de focos de queimadas para o mês

Se comparado ao ano anterior as queimadas cresceram 6.200% no Acre e 1.122% em Rondônia

Novembro nem chegou na metade, mas em apenas 11 dias os estados de Rondônia e Acre conseguiram bater o recorde de queimadas para o mês de novembro desde o começo da série histórica de monitoramento do Instituto de Pesquisa Espacial (INPE), em 1998. Foram 1.528 focos de calor em Rondônia e 882 no Acre. 

O mês de novembro costuma ter índices menores de queimadas, já que marca o começo das chuvas na região amazônica. No ano passado, por exemplo, em todo mês de novembro o Acre teve apenas 14 focos de calor e Rondônia 125, um aumento de 6.200% e 1.122% respectivamente. 

No Acre, quatro municípios concentram mais da metade dos focos de calor: Sena Madureira (17,5%), Xapuri (14,6%), Brasiléia (12,7%) e Rio Branco (8,6%). Já em Rondônia, a capital Porto Velho lidera a lista dos municípios com 20,4% dos focos, seguido de Nova Mamoré (8,8%) e Machadinho D’Oeste (7,9%). 

No acumulado do ano, o Acre já ultrapassa os 11 mil focos, o maior número desde 2005. 

O Brasil passa por um momento de transição de governos, após as eleições que aconteceram em outubro. O Acre reelegeu Gladson Cameli (PP), enquanto Rondônia elegeu Coronel Marcos Rocha (União). Os dois apoiaram Jair Bolsonaro, que perdeu a disputa presidencial para Luiz Inácio Lula da Silva. 

Por: Aldrey Riechel
Fonte: Amazônia.org.br