Coronel condenado pelo Massacre de Eldorado dos Carajás morre de covid-19

Ele estava internado em um hospital particular em Belém (PA); morte foi confirmada pela assessoria da Polícia Militar

Polícia Militar do Pará, em nota, disse que o coronel morreu de complicações da Covid-19. – Cristino Martins/ O Liberal

O coronel Mário Colares Pantoja, 74 anos, condenado a 228 anos de prisão pelo Massacre de Eldorado dos Carajás morreu nesta quarta-feira (11), por complicações da covid-19. Ele estava internado em um hospital particular da capital do Pará, Belém. 

A morte foi confirmada pela assessoria da Polícia Militar do Pará. “O policial militar faleceu por complicações de saúde relacionadas à covid-19. O sepultamento ocorreu na manhã desta quinta-feira (12), em um cemitério particular. O Centro Integrado de Atenção Psicossocial (Ciap) da PM presta assistência à família do militar”, diz a nota.

Pantoja foi comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, com sede em Marabá. Ele foi condenado pela morte de trabalhadores rurais em uma operação. No massacre, em 17 de abril de 1996, 19 trabalhadores sem terra foram assassinados. No entanto, 21 pessoas morreram. Ele cumpria prisão domiciliar e era monitorado por tornozeleira eletrônica.

Dos 155 policiais que atuaram no caso, somente o coronel Mário Colares Pantoja e o major José Maria de Oliveira, comandantes da operação, foram condenados. Os outros 153 PMs foram absolvidos.

Ambos ficaram em liberdade por 16 anos e foram presos em 2012. Pantoja chegou a cumprir quatro anos de pena em regime fechado, mas conseguiu prisão domiciliar em habeas corpus sob a alegação de motivos de saúde.

Por: Catarina Barbosa
Fonte: Brasil de Fato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *