Curso de graça sobre região amazônica começa em 1º de junho pela internet

Formação será baseada no livro Horizontes Amazônicos, da Editora Expressão Popular e da Fundação Rosa Luxemburgo

Ideia da iniciativa é aprofundar debates como o avanço da destruição da região amazônica
Ideia da iniciativa é aprofundar debates como o avanço da destruição da região amazônica – #PelaAmazôniaPelaVida

A Editora Expressão Popular e a Fundação Rosa Luxemburgo vão lançar o curso Horizontes Amazônicos no próximo dia 1º de junho, durante a Semana Mundial do Meio Ambiente. 

A formação será feita online e não será cobrado nada dos estudantes. Todo o processo vai acontecer nos dias 1, 8 e 15 de junho, às 19h30. A ideia da iniciativa é aprofundar debates como o avanço da destruição da região amazônica, o impacto da pilhagem na Amazônia e alternativas para os povos amazônicos.

As questões foram todas elencadas no livro homônimo do curso, que faz parte da Coleção Emergências.

A proposta é que o curso tenha seis módulos, um por mês. Sendo que, em que cada um deles, o tópico a ser discutido deverá ter como tema uma das obras da Coleção Emergências – livros publicados pela editora em parceria com a fundação.

A série teve início em 2019 e tem a proposta de discutir questões cruciais para o Brasil a partir de perspectivas pouco divulgadas nos meios de comunicação comerciais.

Além disso, para cada módulo, serão disponibilizadas três aulas, que vão ocorrer semanalmente ao longo do mês.

Os debates vão ser transmitidos pelas redes sociais da Expressão Popular, da Fundação Rosa Luxemburgo, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), da Tutameia TV e do Brasil de Fato.

A primeira aula terá como mediadora a socióloga e militante ecossocialista Sabrina Fernandes e contará com a presença dos doutores em Geografia Bruno Malheiro e Carlos Walter Porto-Gonçalves, além do doutor em Planejamento Urbano e Regional Fernando Michelotti, autores da obra Horizontes Amazônicos: para repensar o Brasil e o Mundo

O livro vai ser lançado oficialmente junto com o curso e vai abordar os impactos do capitalismo na região e no Brasil.

Fonte: Brasil de Fato