Dom Erwin, bispo emérito do Xingu, sofre embolia e é hospitalizado na Áustria

Dom Erwin, bispo emérito do Xingu, sofre embolia e é hospitalizado na Áustria
Informações falsas sobre a morte do religioso causaram comoção nesta segunda-feira (17), mas foram desmentidas oficialmente (Foto: Mayra Galha/ MK Filmproduktion/2015)

Referência dos direitos humanos e da luta em defesa das povos indígenas e ribeirinhos da Amazônia, o bispo emérito do Xingu, em Altamira (PA), Dom Erwin Krautle, de 82 anos, permanece em tratamento em um hospital da Áustria após sofrer uma embolia pulmonar no último dia 15. Uma nota divulgada pela presidência da Regional Norte 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nesta segunda-feira (17) desmentiu informações falsas de que ele teria morrido. A fake news chegou a ser compartilhada nas redes sociais e grupos do WhatsApp, causando grande comoção e repercussão, mas foi rapidamente desmentida pela nota oficial.

“Caros irmãos e irmãs. Com alegria, comunico a todos que Dom Erwin Krautler, bispo emérito do Xingu, está VIVO. Acabei de receber a seguinte informação por parte da Cúria de Altamira: ‘foi feito agora mesmo um contato com os familiares e confirmada a permanência dele no Hospital na Áustria e se recuperando. Portanto, peço orações pela rápida recuperação de Dom Erwin e desejando muitos anos de vida. Com saudações fraternas”, diz a nota assinada por Dom Bernardo Johannes Bahlmann, bispo de Óbidos (PA).

À Amazônia Real, a Prelazia de Altamira disse que o Dom Erwin viajou à Áustria para passar as festas natalinas com a família. Quando estava no país europeu, ele sofreu uma embolia pulmonar e precisou ser internado. Segundo informações da prelazia, ele continua recebendo tratamento. Um novo comunicado será divulgado pelo bispo da Diocese de Xingu-Altamira, Dom João Muniz, apenas quando a família repassar novas informações.

O presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e amigo de Dom Erwin, Roque Paloschi, disse à Amazônia Real que recebeu informações da família de que o religioso está estável e “com boas reações ao tratamento médico”. 

Os desencontros e as poucas informações a respeito da saúde de Dom Erwin provocaram reação de ativistas do Movimento Amazônia Centro do Mundo, com atuação no Xingu O movimento, que envolve uma rede diversificada de ambientalistas, pesquisadores, jornalistas, lideranças indígenas e ribeirinhas, criticou a superficialidade da nota da Diocese do Xingu.

“Considerando que a Diocese tem o dever ético e moral de informar ao povo diariamente sobre a saúde de Dom Erwin, sugerimos fortemente a divulgação de um boletim no início do dia e outro ao final. Neste sentido, pedimos respeitosamente que o fluxo de informações confiáveis seja estabelecido de imediato, com a urgência que o respeito a Dom Erwin e à estatura pública que ele alcançou com sua luta e seu exemplo de amor à Amazônia e a seus povos merecem”, diz a carta do movimento.

De acordo com os ativistas, a informação falsa sobre a morte de Dom Erwin fez com que algumas pessoas chegassem a passar mal. “É um fato que as fake news são um fenômeno desta época, mas o ocorrido é também consequência da falta de informações”, diz trecho do manifesto.

Dom Erwin foi presidente do CIMI entre 1983 e 1991 e atualmente é presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil). Sua longevidade na luta pelos povos tradicionais da Amazônia é notável e reconhecida mundialmente. Na primeira década deste século, ele tornou-se um dos maiores críticos da Usina de Belo Monte, no Pará, e dos danos causados às populações locais.

Dom Erwin durante celebração em 2014 (Foto: Fundo Dema)

O religioso está ao Brasil há mais de 50 anos e desde então dedica sua fé cristã e sua causa missionária em favor das populações excluídas da Amazônia. Ameaçado de morte há décadas, ele não deixou de se posicionar em favor destes povos, independente de quem está no poder.

No final de 2021, Dom Erwin fez duras críticas aos desdobramentos da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021, a COP26, realizada em Glasgow, e disse que a mudança climática já aconteceu, em uma entrevista ao site Brasil de Fato. “Eu tenho a sensação de que toda essa conferência caríssima, que gastou milhões, empurra, mais uma vez, a questão com a barriga. Esse negócio de prazos, sempre adiantando os prazos, é terrível”, afirmou.

Nascido na Áustria em 1939, Dom Erwin chegou ao Brasil em 1965. Na década de 70 tornou-se cidadão brasileiro. Foi nomeado bispo do Xingu em 1980. O bispo tem inúmeros reconhecimentos, como o título de doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Pará, e o Prêmio Right Livelihood 2010, considerado um prêmio Nobel Alternativo, concedido pelo governo da Suécia e composto por um júri internacional. 

Em 2013, em Manaus, ele recebeu a Amazônia Real para uma entrevista. Na época, quando a presidente da República era Dilma Rousseff (PT), ele demonstrou sua decepção com o governo de esquerda. “O governo deveria defender a causa indígena como uma causa de minoria que está ameaçada. E não faz. O governo atual é omisso. Eu digo que é omisso e negligente, mas atrás disso tem as estratégias. Sua estratégia é rolo compressor. Passa por cima. O governo é anti-indígena”, afirmou à época. 

Dom Erwin Kräutler, ex-bispo do Xingum em Manaus (Foto: Elaíze Farias/Amazônia Real)

Por: Elaíze Farias
Fonte: Amazônia Real