Hub de Bioeconomia lança projeto sobre protagonismo indígena para uma agenda de economia verde inclusiva na Amazônia

Lançamento ocorre durante evento alusivo ao Dia Internacional ?dos Povos Indígenas

Apesar de ocuparem o lugar de maiores defensores da floresta e de detentores de grandes saberes ancestrais, as populações indígenas sofrem constantes ameaças com o garimpo, a grilagem e demais operações ilegais em suas terras, além das doenças, especialmente durante a pandemia do novo coronavírus. Nesse cenário, é fundamental que os povos indígenas sejam apoiados na luta por seus direitos.

Para amplificar essa luta e reconhecendo o valor dos saberes etnoculturais para uma economia verde e justa na Amazônia, o Hub de Bioeconomia da Amazônia, uma coalizão entre a Fundação Amazônia Sustentável (FAS) e o Green Economy Coalition (GEC), lança o projeto ‘Protagonismo Indígena para uma Agenda de Bioeconomia Inclusiva na Amazônia’. O lançamento ocorrerá durante o webinar ‘Dia Internacional dos Povos Indígenas: Protagonismo Indígena para uma Amazônia Viva’, no dia 9 de agosto, a partir das 15h30 (horário de Brasília) no canal do YouTube da FAS.

“Nós, povos indígenas, protagonizamos a luta pela defesa do nosso território, defesa da nossa mãe terra, nosso corpo e espírito. Estamos na linha de frente tentando remediar as decisões dos parlamentares no que diz respeito à nossa terra”, diz a ativista e consultora da Agenda Indígena da FAS, Samela Sateré Mawé.

O evento digital reunirá diversas lideranças, indígenas e não indígenas, e instituições para discutir sobre o protagonismo e a atuação dos povos tradicionais por meio da valorização da cultura, dos saberes e da resistência. O projeto promoverá até outubro de 2021 uma sequência de cinco diálogos com variadas pautas, que vão desde economia indígena, biomimética, comercialização ao financiamento de empreendimentos indígenas, com a missão de promover espaços de protagonização dos saberes etnoculturais, como também evidenciar as lacunas e soluções já existentes para destravar o potencial inovador de soluções baseadas em conhecimentos tradicionais na Amazônia.

“Vemos neste projeto a urgência e importância do fortalecimento dos saberes etnoculturais na construção de uma agenda de bioeconomia inclusiva na Amazônia que reconheça o protagonismo indígena e suas tradições na implementação de uma economia verde na região. Buscaremos aproximar, através de diálogos online, diversos atores do ecossistema de inovação da Amazônia com o objetivo de contribuir com o debate e o avanço de políticas públicas, além de marcos regulatórios para uma bioeconomia centrada na valorização dos conhecimentos dos povos da floresta”, diz a facilitadora do Hub de Bioeconomia da Amazônia, Marysol Goes.

O webinar terá a participação do presidente da SDSN Amazônia e superintendente geral da FAS, Virgilio Viana; da ativista indígena e consultora da FAS, Samela Sateré Mawé; além de personalidades como a cantora e ativista indígena, Djuena Tikuna; dos ativistas indígenas, Alessandra Munduruku e Dário Kopenawa; e de representações de grandes instituições da PanAmazônia e internacional como a Coordenadoria das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica (COICA); a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB); entre outras.

Fonte: FAS