Indígenas marcham mais uma vez em direção ao STF

STF iniciará votação em instantes

Os mais de 6 mil indígenas que estão mobilizados no Acampamento Pela Vida, em Brasília, marcham agora em direção ao prédio do Supremo Tribunal Federal (STF) onde acompanharão a votação que ocorrerá em instantes do Marco Temporal que definirá as demarcações de terras indígenas no país.

O processo inicial que será julgado pelo STF trata sobre uma ação de reintegração de posse movida em 2009, pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) contra a Fundação Nacional do Índio (Funai) e indígenas do povo Xokleng reivindicando parte do Terra Indígena (TI) Ibirama-Laklãnõ já demarcado. No local também vivem indígenas Guarani e Kaingang e pode ainda decidir o futuro do Projeto de Lei 490, que altera o Estatuto do Índio e usa o conceito de Marco Temporal para reconhecimento das terras indígenas, mas é ainda mais prejudicial, já que impede a ampliação de terras já demarcadas, além de flexibilizar o contato com povos isolados e a liberação de atividades como mineração em territórios não demarcados.

Hoje, em homenagem a Ailton Krenak, que na época da Constituinte pintou o rosto de carvão durante discurso, sinalizando a luta indígena, o indígena Paulo Porompi Txicão, repetiu a cena história e declarou: “vou pintar meu rosto de carvão, recordando a luta do guerreiro Ailton Krenak, estamos aqui para dar continuidade a sua luta, unidos somos mais fortes.”

Acompanhe a votação ao vivo: TV Senado

Fonte: Amazônia.org