Iniciativa lança plataforma que prevê áreas sob maior risco de desmatamento na Amazônia

Através do uso de inteligência artificial, a plataforma PrevisIA fornecerá dados, abertos ao público, para indicar quais as áreas mais ameaçadas da Floresta Amazônica

Foi lançada nesta quarta-feira (04), a plataforma PrevisIA, que usa a inteligência artificial para prever quais são as áreas sob maior risco de desmatamento na Amazônia. Em 2021, por exemplo, a plataforma aponta que 9.635 km² de floresta estão ameaçados, sendo quase um terço dela sob risco alto ou muito alto. A iniciativa é um esforço conjunto entre o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e a Microsoft, com financiamento do Fundo Vale, e tem como objetivo assessorar órgãos públicos no planejamento e execução de ações preventivas de combate e controle do desmatamento. Qualquer um, entretanto, pode acessar a plataforma, que é aberta ao público e apresenta os dados em português e inglês.

Para analisar e prever as áreas mais ameaçadas pela sombra do desmatamento, a PrevisIA avalia diversas variáveis como estradas legais e ilegais, topografia, cobertura do solo, infraestrutura urbana e dados socioeconômicos. Para realizar essa análise, a ferramenta conta um algoritmo de IA e com um modelo de risco desenvolvidos pelo Imazon e com recursos avançados de nuvem de computadores do Microsoft Azure.

A plataforma também fornece o ranking entre os estados – atualmente liderado pelo Pará – e municípios com maior risco de terem suas florestas destruídas, e indica a área total e o número de municípios, unidades de conservação, terras indígenas, territórios quilombolas e assentamentos rurais na mira do desmatamento na Amazônia. Entre os dados informados pela PrevisIA, por exemplo, estão que 48 Terras Indígenas e 18 unidades de conservação possuem áreas sob risco “alto ou muito alto” de desmatamento.

A plataforma PrevisIA mostra, em cores no mapa, as áreas que concentram os maiores riscos de desmatamento na Amazônia Legal. Imagem: Reprodução

“O grande avanço desse projeto foi democratizar o acesso a recursos avançados de Tecnologia da Informação para facilitar o engajamento de diversos usuários na prevenção e no controle do desmatamento da Amazônia”, afirma Carlos Souza Jr, pesquisador associado do Imazon, que apresentou o lançamento da plataforma nesta quarta, ao lado do vice-presidente corporativo da Microsoft, Rodrigo Kede, da presidente da Microsoft Brasil, Tânia Cosentino, e do diretor de Investimento e Desenvolvimento Social da Vale, Hugo Barreto.

“Na Microsoft, acreditamos que a Inteligência Artificial pode auxiliar a resolver desafios do planeta e da sociedade. A preservação do meio ambiente, sem dúvida, é um desses desafios. Como parte do nosso compromisso com a biodiversidade, assumimos a responsabilidade pela nossa pegada na Terra e, há alguns anos, lançamos o programa AI for Good, onde disponibilizamos US$165 milhões, durante o período de cinco anos, para fornecer financiamento, tecnologia e especialização para indivíduos e ONGs. As iniciativas desse projeto são divididas em cinco pilares, um deles é o AI for Earth, que, entre as ações apoiadas no Brasil, consta a parceria com o Fundo Vale e o Imazon”, destaca a presidente da Microsoft Brasil.

Acesse aqui a plataforma PrevisIA.

Por: Duda Menegassi
Fonte: O Eco