Ministério Público Federal solicita que Polícia Federal e Funai investiguem incêndio que atingiu casas em aldeia Xavante no Mato Grosso

Informações iniciais indicam que 48 casas da aldeia Ethenhiritipá, da TI Pimentel Barbosa, foram incendiadas

O Ministério Público Federal (MPF) requisitou à Polícia Federal (PF) e à Fundação Nacional do Índio (Funai) que investiguem as causas do incêndio que atingiu as casas da aldeia Ethenhiritipá, localizada na Terra Indígena Pimentel Barbosa, da etnia Xavante, na manhã de quinta-feira (4).

Foto: Adriano Gambarini

De acordo com informações iniciais recebidas pelo 1º Ofício da Procuradoria da República em Barra do Garças, todas as 48 casas da aldeia foram incendiadas. Ao saber do ocorrido, o procurador da República Everton Aguiar entrou em contato com a Coordenação Regional da Funai em Ribeirão Cascalheira para que os fatos fossem apurados. 

Inicialmente, as informações dão conta de que há indícios de crime, o que coloca em risco a integridade física dos habitantes da aldeia Ethenhiritipá. “Os fatos necessitam de imediata apuração pela Polícia Federal, devendo-se realizar diligência no local com o objetivo de reunir elementos concretos sobre os fatos, colhendo elementos de autoria e materialidade delitivas”, afirmou o procurador da República em Barra do Garças. 

Novo atlas acrescentou mais 170 mapas, além de um caderno temático sobre a população indígena
Foto: Marcelo Camargo – Agência Brasil

Diante dos fatos, o procurador requisitou que a Polícia Federal instaure inquérito policial e realize, de forma imediata, diligências no local dos fatos. Também solicitou que a Funai (CR Ribeirão Cascalheira/MT) adote as providências pertinentes, e encaminhe informações atualizadas ao MPF sobre o caso.

Fonte: MPF/Procuradoria da República em Mato Grosso
Assessoria de Comunicação