MPF solicita providências urgentes do Ministério da Saúde para evitar desabastecimento de oxigênio medicinal no Amapá

Alerta sobre o risco iminente de colapso foi feito pela empresa White Martins, fornecedora do insumo para o estado

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou ao Ministério da Saúde (MS) a adoção de providências, em caráter urgentíssimo, para disponibilizar oxigênio aos municípios do estado do Amapá. A atuação é embasada em comunicado em que a empresa White Martins – fornecedora do insumo para o estado – alerta para risco iminente de colapso no abastecimento do gás medicinal. O ofício foi expedido neste domingo (21), com fixação de prazo de 48 horas para resposta.

No documento, o MPF solicita ao MS que estabeleça ação preventiva ao desabastecimento de oxigênio no Amapá, garantindo assistência em tempo oportuno às necessidades dos pacientes acometidos pela covid-19. Diante do cenário crítico relatado pela empresa, o MPF considera essencial a ação do MS para dar o suporte necessário ao estado. A medida pretende evitar o colapso pela falta do gás medicinal, como ocorrido em outros estados do país.

Segundo o comunicado da empresa White Martins – dirigido a autoridades do município de Macapá e do estado do Amapá, com cópia para o Ministério Público – houve incremento de mais de 200% na demanda por oxigênio medicinal, nos últimos dias. Como consequência, o abastecimento do insumo e o atendimento aos pacientes de covid-19 em todo o estado ficou comprometido e em risco iminente de colapso.

Fonte: MPF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *