Nossas e Mapbiomas ganham o “Oscar” do terceiro setor

As duas iniciativas, que fazem parte da rede do Observatório do Clima, receberam o Skoll Award, maior premiação do mundo para inovadores sociais

Em uma dobradinha inédita no Brasil, o MapBiomas, projeto multi-institucional que promove o mapeamento anual de cobertura e uso da terra do país, e a organização não-governamental Nossas venceram o prêmio internacional Skoll Awards for Social Entrepreneurship, da Skoll Foundation. Considerada o “Oscar” do terceiro setor, a premiação vem acompanhada de uma doação de cerca de US$ 2,2 milhões para cada premiado com o objetivo de fortalecer os projetos ao longo de três anos. O anúncio foi feito nesta segunda (4/4) e a entrega acontece em cerimônia virtual na quarta-feira (6/4). As inscrições para acompanhar o evento podem ser feitas aqui.

A cada ano são selecionados três inovadores sociais cujo trabalho contribui para atacar as causas dos problemas sociais e ambientais com soluções escaláveis e transformadoras. Em 2021 não houve premiação devido à pandemia de Covid-19. Por isso, este ano foram selecionados seis inovadores sociais.

A Nossas é uma organização sem fins lucrativos comprometida com o fortalecimento da democracia, da justiça social e da igualdade. Há mais de dez anos desenvolvendo projetos, a organização já mobilizou mais de 1,2 milhões de brasileiros em 18 cidades e defendeu, somente em 2020, 125 mudanças de políticas públicas em mais de 200 campanhas lideradas por cidadãos. É integrante do Observatório do Clima desde 2021.

“Estamos muito felizes com esse prêmio. É um reconhecimento de todo um trabalho, desde 2011, quando a organização foi fundada. Vamos doar uma parte importante do prêmio para outras organizações e coletivos brasileiros, de base comunitária, com o objetivo de impulsionar ainda mais o terceiro setor no Brasil”, disse Alessandra Orofino, cofundadora da Nossas, que receberá o prêmio em nome da organização.

O MapBiomas, que opera através de rede colaborativa multi-institucional para a produção de conhecimento, foi selecionado pelo impacto dos dados gerados, que têm sido utilizados no combate ao desmatamento e às queimadas, na proteção de unidades de conservação e terras indígenas, no monitoramento dos recursos hídricos, planejamento do uso sustentável das propriedades rurais, entre outros.

“Esse prêmio é um reconhecimento da contribuição da rede MapBiomas para a promoção da conservação e uso sustentável dos recursos naturais não só no Brasil, como também nos outros países da América do Sul e na Indonésia”, afirma Tasso Azevedo, coordenador-técnico do OC e também coordenador do MapBiomas.

O valor do prêmio será aplicado na expansão do MapBiomas para além das áreas de atuação atuais na América do Sul e Indonésia e na ampliação dos temas de monitoramento, como degradação, superfície de água, cicatrizes de fogo e regeneração.

Anteriormente, apenas três organizações brasileiras haviam sido premiadas: Comitê para Democratização da Informática (2005), Instituto Dara (2006) e Imazon (2010).

Fonte: Observatório do Clima