PF prende suspeito de coordenar garimpo na Terra Yanomami em RR

Homem, conhecido como ‘Zé bala’, foi detido nesta segunda-feira (13). Operação Atalho investiga rede de apoio a garimpo ilegal na TIY.

Vista aérea da floresta amazônica no Alto Rio Catrimani, Terra Indígena Yanomami,divisa dos estados de Roraima e Amazonas|Edson Sato
Vista aérea da floresta amazônica no Alto Rio Catrimani, Terra Indígena Yanomami,divisa dos estados de Roraima e Amazonas|Edson Sato

A Polícia Federal prendeu em flagrante nesta segunda-feira (13) durante a operação ‘Atalho’ um homem suspeito de dar apoio ao garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami (TIY), em Roraima.
De acordo com a PF, o homem, conhecido como ‘Zé Bala’, cobrava pedágio e fornecia hospedagem e alimentação a garimpeiros que atuam irregularmente na região.
Segundo a polícia, o suspeito foi preso em uma casa em Boa Vista. Ele mantinha uma fazenda no Projeto de Assentamento Paredão, em Alto Alegre, no interior de Roraima, para dar apoio ao garimpo ilegal.
A suspeita é que ele tenha construído uma estrada em um dos lotes e exigia pedágio entre R$ 100 e R$ 500 por veículo que trafegavam pela localidade. A estrada dá acesso às margens do rio Uraricoera, via fluvial que dá acesso ao garimpo na Terra Indígena Yanomami.
“Há indícios de uso de capangas, com estrutura armada, para intimidação de pessoas para que paguem o pedágio cobrado”, informou a PF, acrescentando que até mesmo uma cancela foi colocada na vicinal 6 do Projeto de Assentamento para forçar os garimpeiros a pagarem o pedágio.
A investigação da Polícia Federal aponta ainda que o suspeito ofertava na fazenda alimentação e espaço para depósito de materiais ilícitos de garimpeiros e demais envolvidos na atividade ilegal na Terra Indígena Yanomami.
Após ser detido, ‘Zé Bala’ foi levado à Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, onde ficará à disposição da Justiça Federal.
Mandados de busca e apreensão
Na ação, a Polícia Federal cumpriu ainda dois mandados de busca e apreeensão. Na casa onde o suspeito foi encontrando, em Boa Vista, os policiais apreenderam R$ 40 mil em ouro, R$ 17 mil, dois telefones satelitais, balança de precisão, GPS, celulares, documentos e 31 carotes vazios para combustível.
Ainda segundo a PF, o trabalho na área rural continua em andamento, em ação integrada com o Exército Brasileiro.
Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *