Projeto de produção de polpas e frutas empodera mulheres de São Félix do Xingu

Parte da produção das mulheres é destinada para merenda escolares da cidade

Um paraíso de árvores frutíferas no quintal de casa é o cenário que atrai o olhar na propriedade de Darlene Ferreira, que sedia a Associação das Mulheres Produtoras de Polpa de Fruta (AMPPF) na cidade de São Félix do Xingu. Pés de acerola, abacate, cacau, graviola, jaca, goiaba, caju e manga adornam o ambiente de trabalho dessas mulheres que também inclui a plantação de novas mudas como de Ipê rosa, muiracatiara e sementes de açaí e maracujá em um viveiro também no local.

A atual presidente do grupo, dona Maria Josefa, relembra da companheira Diomar, fundadora da associação e imagina o quanto ela estaria feliz vendo o crescimento do paraíso particular que virou uma fonte de renda extra para as mulheres da região. “Nós estávamos falando ali no meio do viveiro ‘se ela estivesse aqui, como ela estaria?’ Porque ela era a cabeça da associação, encorajava todas as mulheres que entravam, ela dava a coragem dela pra nós, porque sem isso nós não estaríamos aqui hoje”, destaca dona Josefa.

Produção da Associação das Mulheres Produtoras de Polpa de Fruta (AMPPF). Foto Nicole Matos / Amazônia.org

Rendendo Frutos

A produção de polpa de fruta feita pelo grupo é totalmente artesanal, com frutas retiradas dos quintais agroflorestais das associadas que moram em propriedades das vilas de Tancredo Neves, Maguary e Nereu, em São Félix do Xingu. A gratidão de fazer parte do grupo é nítida no rosto das integrantes que agradecem a oportunidade de participar do projeto e ter a chance de conseguir uma independência financeira.

“Eu entrei pelo fato de ver que através dessa associação nós estaríamos aproveitando as frutas plantadas no nosso quintal que antes se perdiam. Quando essa associação começou foi uma porta que se abriu para que pudéssemos aproveitar nossas frutas e ter uma renda extra para a família no dia a dia. Tem sido muito bom e cada vez mais estamos crescendo”, conta Maria Nilde, uma das integrantes do grupo.

A distribuição das polpas é principalmente designada para a merenda escolar, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que tem como diretriz, que no mínimo 30% dos itens de alimentos do programa sejam adquiridos de agricultores familiares locais.

Além da produção de polpa, em parceria com o Imaflora, o grupo tem recebido mudas de árvores nativas e frutíferas para cultivar e futuramente vender para ganhar mais um complemento em suas rendas.

A união faz a força

A Associação das Mulheres Produtoras de Polpa de Fruta (AMPPF) é uma organização que reúne agricultoras familiares de São Félix do Xingu, região do Sudoeste do Pará. Criada oficialmente em 2012, a organização ganhou corpo a partir de projetos, programas e outras ações de incentivo à organização social e à geração de renda. Atualmente a associação conta com 25 integrantes mulheres e cinco homens

Por: Nicole Matos
Fonte: Amazônia.org.br
Imagem de Destaque: Mulheres da Associação das Mulheres Produtoras de Polpa de Fruta (AMPPF). Foto Nicole Matos