Recorde de desmatamento é novamente ultrapassado durante o mês de abril

Mesmo durante a estação de chuvas na Amazônia, os números foram além de mil quilômetros desmatados 

Os dados de desmatamento na Amazônia alcançaram novos recordes no mês de abril, segundo os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), foram derrubados 1.012,5 km² de floresta. Comparando com abril do ano passado, que registrou 580,5 km², houve um aumento de 74% e se comparado à média dos seis anos anteriores para abril, a área de alertas é 165% maior.

Essa é a primeira vez na série histórica do Deter que o mês de abril ultrapassa a casa de mil quilômetros quadrados. Os números divulgados ainda poderão ter um aumento, já que a taxa foi contabilizada apenas até o dia 29.  

Abril ainda é um mês de chuvas na Amazônia, o último do chamado “inverno” amazônico, onde normalmente, as derrubadas são menores, por conta das dificuldades impostas pelo tempo para a prática de desmate, ou seja, não é comum ver números tão elevados de desmatamento nesta época.

Uma das causas possíveis para que  as taxas de desmatamento estejam tão altas é o fato de ser ano eleitoral, historicamente os números de desmate crescem nesses anos. Algo que traz ainda mais preocupação é que desde que Jair Bolsonaro assumiu a presidência, o desmatamento teve aumento ano após ano, chegando a ultrapassar mais de 10 km², algo que pode esperar que aconteça novamente em 2022.

“Estamos falando de mais que o dobro do índice em relação ao ano passado, isso é uma clara concretização das previsões feitas por diversos especialistas no final de 2021, em que o ano de 2022 seria um péssimo ano para o meio ambiente e isso já está se concretizando”, afirma Mauro Armelin, diretor executivo da Amigos da Terra – Amazônia Brasileira.

Fonte: Amazônia.org