Rio+20 terá aldeia para discutir questões indígenas

Uma aldeia com pelo menos quatro ocas será montada no Rio de Janeiro para discutir questões ligadas aos indígenas durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), marcada na cidade para o final de junho. Segundo o articulador indígena para a conferência, Marcos Terena, o espaço deverá se chamar Kari-oca 2, nome que remete aos moradores da cidade do Rio de Janeiro, os cariocas, e cujo significado original, na língua indígena tupi, é “casa do homem branco”.

Na aldeia haverá duas ocas com redes para abrigar 80 pessoas, uma “oca eletrônica” e uma grande oca com capacidade para 500 pessoas, onde serão feitas as discussões. Terena e um grupo de indígenas estiveram no Rio de Janeiro para definir a área exata onde a aldeia será montada. A ideia é que o espaço ocupe o Autódromo de Jacarepaguá, próximo aos locais onde ocorrerão as conferências oficiais das Nações Unidas.

“É uma iniciativa para abrigar povos indígenas do mundo inteiro aqui no Rio de Janeiro durante a Conferência Rio+20 e para que a gente possa ter um lugar para debater a economia verde e o desenvolvimento sustentável. Ao mesmo tempo vai servir para que a gente possa mostrar a força cultural dos povos indígenas do Brasil. O projeto é uma iniciativa indígena brasileira, que é conectada com os índios da África, das Américas, da Ásia”, afirmou Terena.

Segundo Terena, a montagem da “oca eletrônica” será uma das grandes novidades. “Essa oca, que foi uma sugestão dos índios navajos, dos Estados Unidos, é uma inovação, já que mistura uma oca tipicamente brasileira com conteúdo eletrônico. Ali haverá iniciativas voltadas à tecnologia da informação e também terá o objetivo de fazer a transmissão online da conferência aqui do Rio de Janeiro”, disse.

Na aldeia, haverá ainda profissionais indígenas, como enfermeiros e advogados, para atender os participantes da conferência, caso haja necessidade. Além disso, estão programadas cerimônias espirituais tradicionais, durante todos os dias da Rio+20.

Por: Vitor Abdala
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Talita Cavalcante

0 comentário em “Rio+20 terá aldeia para discutir questões indígenas”

  1. FRANCISCO DE PAULO SOARES MACHADO

    MUITO IMPORTANTE, NA CONSTRUÇÃO DE UMA DEFESA, DAS POPULAÇÕES, ORIGINÁRIAS, QUE NOS ÚLTIMOS TEMPOS, ESTÃO VIVENDO UM VERDADEIRO MASSACRE DA ETNIAS, GUARANYS, E OUTRAS, TAMBÉM !!
    DEVEMOS, DBATER, A POSTURA DO GOVERNO, NA EXTRUTURA DA FUNAI, QUE A MUITO TEMPO DEIXOU, DE REPRESENTAR, AS PENDÉNCIAS, CRONOGRAMAS, PROGRAMAS, PROGETOS, QUE DIZEM RESPEITO, DEFESA, DAS ETNIAS !!, POVOS,INDIOS, ASSASSINADOS, QUEIMADOS, CRIANÇAS, SÃO MORTAS !! NÃO SE VE , UMA PROVIDENCA, DE JUSTIÇA, PARECEM ATRIBUIR A CULPA, A PRÓPRIA EXISTÉNCIA INDÍGENA !! É DOLOROSO, CRUEL, PRECISAMOS DE JUSTIÇA !! JÁ !! XINGU VIVO, É PARA SEMPRE !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *