Roraima: Carregamento de oxigênio da Venezuela chega a Boa Vista

Segundo cônsul venezuelano em Boa Vista, governo de Roraima já entrou em contato com Caracas para pedir mais oxigênio

Oxigênio chega a Roraima – Reprodução

Um carregamento com 20 mil m³ de oxigênio produzido na Venezuela foi entregue ao Estado de Roraima na madrugada desta quarta-feira (27). A informação foi confirmada ao site Opera Mundi pelo cônsul da Venezuela em Boa Vista, Erik Gana, e pelo governo de Roraima.

Segundo o oficial venezuelano, uma das carretas, que tinha como destino Manaus, foi entregue ao Hospital de Campanha de Boa Vista, capital do Estado, às 4h30 desta quarta-feira. “Nossa posição como governo venezuelano é dar o apoio máximo ao povo brasileiro nesse tema do oxigênio e no que estiver ao nosso alcance”, disse Gana.

Em nota, o governo de Roraima confirmou a entrega e disse que a carreta que abasteceu o hospital em Boa Vista vai permitir a abertura de 120 novos leitos de enfermaria para atender pacientes infectados pelo novo coronavírus.

Ainda de acordo com o governo do Estado, a carreta que transportava esse carregamento quebrou na fronteira do Brasil com a Venezuela em Roraima no dia 22 de janeiro. Então, o secretário de Saúde estadual, Marcelo Lopes, pediu ao governo do Amazonas o uso desse carregamento, que foi autorizado.

A gestão do uso do oxigênio por Boa Vista com o governo venezuelano foi feita pelo senador Telmário Mota (Pros-RR), que pediu ao ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, “igual ajuda humanitária [à enviada ao Amazonas], com o fornecimento de oxigênio necessário para o Estado de Roraima”.

Em entrevista a Opera Mundi, Mota afirmou que, “como essa carreta estava quebrada e havia uma deficiência em Boa Vista, eu entrei em contato com o governo da Venezuela e pedi que a gente negociasse com o governo amazonense”.

Pelo Twitter, o senador agradeceu o gesto e disse que “apesar das diferenças políticas e ideológicas, nós, países da América Latina, temos que dar as mãos em momentos como esse”. 

Arreaza, por sua vez, afirmou que é um “dever apoiar o povo do Brasil” e que Caracas segue em contato “para coordenar os próximos envios de oxigênio aos Estados de Roraima e Amazonas”.

O carregamento entregue ao Hospital de Campanha de Boa Vista, assim como o que foi doado a Manaus, também foi produzido pela Siderúrgica do Orinoco Alfredo Maneiro, empresa estatal venezuelana que fica em Puerto Ordaz, no estado de Bolívar.

Por: Lucas Estanislau
Fonte: Brasil de Fato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *