Site #TchauSalles pede afastamento imediato de ministro do Meio Ambiente

Ethos, Akatu, ISA, Greepeace, Conectas, Observatório do Clima, Movimento Nacional dos Catadores estão entre as 22 entidades que assinam o site #TchauSalles

Uma campanha lançada por entidades ambientalistas e empresariais criou o site #TchauSalles, em que convoca um movimento de pressão pelo afastamento do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. “Está nas mãos do desembargador Ney Bello a decisão sobre afastamento imediato de Ricardo Salles, ministro acusado de devastar o meio ambiente”, diz a convocatória. O juiz Bello é o relator de ação movida contra Salles, em tramitação no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília. O site oferece um campo que permite envio de mensagem direta ao desembargador. O site é assinado por 22 organizações da sociedade civil. Entre elas estão Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, Insituto Akatu, Instituto Socioambiental (ISA), Greenpeace, Conectas, Observatório do Clima, Pimp My Carroça, Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis.

A convocatória do #TchauSalles

Está nas mãos do desembargador Ney Bello a decisão sobre afastamento imediato de Ricardo Salles, ministro acusado de devastar o meio ambiente. Salles tem uma longa trajetória de acusações, condenações e práticas antiéticas. Leva às últimas consequências a ideia de “passar a boiada” com o desmanche de políticas ambientais, e tem trabalhado ativamente por isso.

Os índices de desmatamento dispararam e queimadas devastadoras acontecem na Amazônia, no Pantanal e no Cerrado, enquanto medidas de proteção ao meio ambiente são desmanchadas cotidianamente. O ministro demitiu fiscais ambientais por cumprirem seu trabalho, esteve do lado das empresas na tragédia de Brumadinho e nada fez diante do vazamento de óleo no litoral brasileiro. Além disso, defensores do meio ambiente sofrem um número crescente de ataques.

O desmatamento na Amazônia brasileira aumentou 34,4% em 2019, e em 2020 a situação ambiental do país só piorou.

Investidores que gerenciam US$ 3,7 trilhões anunciaram que deixarão de investir no Brasil caso ele siga devastando o país.

O parlamento holandês rejeitou acordo comercial da União Europeia com o Mercosul alegando que o descontrole na proteção ambiental do Brasil é um risco para o mundo.

Ano da “boiada”, recorde de queimadas

O Brasil encerrou 2020 com o maior número de focos de queimadas em uma década. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Foram registrou 222.798 focos, contra 197.632 em 2019, um aumento de 12,7%. Os números só ficam atrás do recorde de 2010, quando o país registrou cerca de 319 mil focos. Segundo a assessora do Greenpeace Brasil, Luiza Lima, seja por inação ou por ações efetivas, tem uma política ambiental orientada para a destruição dos biomas. “A gente não viu nenhum tipo de reversão dessa política orientada para esses desastres”, afirmou em entrevista ao Jornal Brasil Atual nesta segunda-feira (4).

Por: Paulo Donizetti de Souza
Fonte: Rede Brasil Atual

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *