Surto de diarreia atinge pelo menos 45 crianças indígenas de aldeias de Eirunepé (AM)

Ministério da Saúde, que confirmou a morte de seis crianças, enviou missão especial para atuar nas aldeias no interior do Amazonas.

Em dezembro de 2011, um grupo do Médio Solimões vieram a Manaus denunciar situação da saúde indígena (Valdo Leão/Divulgação)

Quarenta e cinco crianças indígenas de aldeias localizadas no município de Eirunepé (a 1.160 quilômetros de Manaus) foram diagnosticadas com Doença Diarreica Aguda (DDA) por equipes multidisciplinares do Distrito Especial de Saúde Indígena (Dsei) Médio Solimões e Afluentes. Os sintomas apresentados são vômito e diarreia.

Os profissionais de saúde que atuam desde a semana passada na região continuam investigando a morte de seis crianças nas aldeias da região. As crianças são da etnia kulina e kanamari.

O sexto óbito foi de uma criança prematura, de 1,5kg, que estava na UTI com quadro grave. As informações foram dadas nesta quinta-feira (03) pela assessoria de comunicação da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

Segundo a assessoria, as crianças doentes receberam terapia medicamentosa e reidratação oral. Durante o mesmo período, três pacientes, menores de um ano, precisaram ser removidos para Casa de Saúde Indígena de Eirunepé porque apresentaram quadro de baixo peso e desidratação grave.

Além do atendimento, identificação dos casos e tratamento nas aldeias, as equipes realizaram um trabalho de educação em saúde, principalmente, direcionado ao uso correto do hipoclorito no tratamento da água e também cuidados com os animais domésticos e higiene pessoal, como lavar as mãos.

Força Nacional

No último sábado (28), equipes da Força Nacional de Saúde do Sistema Único de Saúde (FNS/SUS) chegaram em aldeias indígenas de Eirunepé para intensificar as ações de atendimento emergenciais

A ação da FNS/SUS também vem sendo feita no Distrito Sanitário Especial de Saúde Indigena (DSEI) Alto Rio Purus, no município de Santa Rosa do Purus. O secretário da Sesai, Antônio Alves de Souza, está nas áreas acompanhando a operação.

Fonte: A Crítica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *