Suspensão de seguro em RR assusta pescadores; ‘dano irreparável’, dizem

Decisão do STF suspendeu o período de defeso por 120 dias. Em Roraima, pescadores recebem o seguro entre março e junho.

A suspensão por 120 dias do seguro defeso surpreendeu os pescadores de Roraima. Para eles, a decisão liminar tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido do Governo Federal, provoca danos irreparáveis.

Conforme o presidente da Federação do Sindicato dos Pescadores, Leonel Pereira, a suspensão do seguro-defeso no valor de um salário mínimo preocupa os pescadores por conta do impacto ambiental que vai causar. Em Roraima, os pescadores recebem o seguro entre os meses de março e junho.

“O seguro faz com que a gente não precise pescar nesse período de reprodução dos peixes. Por isso, estamos preocupados com o fato de que neste ano teremos que pescar nesse período e capturar muitos peixes. No entanto, no ano que vem não vai ter peixe, o que sem dúvida causará um grande dano ambiental”, explicou.

Suspensão

Ao suspender por 120 dias o seguro-defeso, o STF decidiu derrubar um decreto legislativo aprovado em dezembro pelo Congresso que garantia aos pescadores o pagamento do seguro-defeso, benefício previdenciário concedido pelo governo durante o período de proibição da pesca, após uma portaria já ter suspendido o benefício.

Conforme a ação que levou à suspensão do seguro, o pagamento do benefício traria um impacto de R$ 1,6 bilhão aos cofres públicos, que seriam pagos a partir da próxima segunda-feira (11), além de outros R$ 3 milhões em custos operacionais.

Na ação protocolada no STF, o governo alegou “incerteza” em relação aos destinatários do benefício, afirmando ser necessário realizar um recadastramento dos pescadores para evitar fraudes no recebimento. Além disso, argumentou ser preciso reavaliar o período para a preservação dos peixes.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *